Empreende Mulher Catarinense foi realizado com sucesso

O Empreende Mulher Catarinense, realizado pelo Conselho Estadual da Mulher Empresária (Ceme), entidade da Federação das Associações Empresariais do Estado (Facisc), atraiu mais de mil participantes na sua primeira edição virtual realizada nesta segunda-feira. O recorde de público mostra que as versões online de eventos vieram para ficar quando o objetivo é compartilhar conhecimento.


Com edição anual, o Empreende acontece no Dia Estadual e Nacional da Mulher Empresária, celebrado em 17 de agosto. A presidente do Ceme, Poliana de Oliveira, afirmou que apesar da distância, foi possível às empresárias estarem mais conectadas e engajadas.


- Superação e inovação são as palavras da vez. Com o Ceme não seria diferente: nos reinventamos e nos adaptamos à nova realidade – disse a presidente.


Palestrante máster do evento, a empresária japonesa radicada no Brasil, Chieko Aoki, presidente da rede Blue Tree Hotels, falou sobre os desafios que enfrentou na infância e se preparou para a vida. A lição número um foi estudar nas melhores escolas, tanto num curso técnico de secretariado, quando no inglês para ser uma profissional trilíngue. No evento que foi mediado pela jornalista da NSC Comunicação Laine Valgas, a empresária revelou também que a cultura conservadora da rede hoteleira que comandaChi permitiu enfrentar melhor a pandemia.


Chieko Aoki contou que quando viu o problema do novo coronavírus surgir na China já imaginou que o grupo poderia ter que ficar fechado, na pior das hipóteses, até o fim do ano. Por isso recomendou gestão financeira conservadora e rígidos cuidados preventivos à saúde. A Blue Tree elaborou até um manual de prevenção à Covid que disponibilizou gratuitamente ao mercado.


- A gente não faz uma empresa de um dia para o outro. É a cultura. A gente dá muito poder para as pessoas responsáveis porque elas que estão no dia a dia da operação sabem melhor do que eu. A gente precisa envolver uma equipe que conhece os valores da empresa. Quais são nossos valores? Qualidade, gestão de risco, ser generoso, cuidar das pessoas e das coisas – disse Chieko Aoki.


O painel de abertura contou com palestras da empreendedora autônoma Cris Broilo, a sócia e diretora comercial do Grupo Maná do Brasil, Silvia Coleraus, e a empresária Larissa Bortoloto, presidente da Associação Empresarial de Nova Veneza, gestora da empresa familiar sócia do Ristorante Veneza e do Hotel Bormon.


Cris Broilo revelou que uma das razões do seu sucesso como autônoma é a atenção com o bem-estar do cliente. Para ela, a inovação deve estar em tudo e a pandemia mostrou que é preciso priorizar custos e serviços. Silvia Coleraus disse que o Grupo Maná, especializado em refeições corporativas e presente em seis estados, iniciou a pandemia com 70 unidades e 706 colaboradores. Para se adaptar à nova realidade, uma das medidas necessárias foi o fechamento de unidades deficitárias. Segundo ela, uma das estratégia acertadas foi não demitir nenhuma liderança.


Larissa Bortoloto falou da reinvenção do Ristorante Veneza frente à pandemia. Como não dava para receber clientes, a estratégia foi fabricar massas congeladas e fazer telentrega. O delivery começou em Nova Veneza e já está em seis municípios da região.




7 visualizações

CDL e Associação Empresarial de Maravilha

Rua Jorge Lacerda, 85 - Centro

Maravilha - Santa Catarina - CEP: 89874-000

comunicacao@aemaravilha.com.br

49 3664-0414 / 98819-2633